domingo, 14 de dezembro de 2008

Pitos de Sta Lúzia - receita



Ingredientes: Massa : Farinha; Água; Sal; Ovos. Recheio: Abóbora; Açúcar; Canela.

Mistura-se a farinha, os ovos, o sal e a água até obter uma massa consistente. Forma-se uma bola com a massa, polvilha-se com farinha e deixa-se a massa a descansar. Durante o tempo de espera, prepara-se o recheio. Coze-se a abóbora e passa-se pelo passe-vite. A este puré é adicionado o açúcar e a canela. Estende-se a massa com o rolo e cortam-se os quadrados de massa, colocando- se no centro destes uma colher de recheio. Juntam-se os cantos do quadrado formando uma trouxinha. Levam-se ao forno num tabuleiro polvilhado com farinha.


Enquadramento histórico: Os pitos de Santa Luzia foram inventados por Ermelinda Correia, que veio a ser mais tarde a Irmã Imaculada de Jesus, natural de Vila Nova em Vila Real.

Esta rapariga tinha um defeito: era muito gulosa. Este facto obrigou seus pais a enclausurarem-na no convento de Santa Clara, na esperança de transformar o pecado em virtude. A Irmã Imaculada tornou-se devota de Santa Luzia, padroeira dos cegos e das coisas da vista. Um certo dia estava a irmã aplicar os curativos nos seus doentes (feridas, contusões e inchaços nos olhos), com uns pachos de linhaça, que eram uns quadrados de pano cru onde se colocava a papa, dobrando as pontas para o centro para não verter a poção - usados como pensos para os ferimentos, quando de repente teve uma visão. Correu para a cozinha e fez a massa de farinha e água e cortou-a em pequenos quadrados. Tinha consigo o cibo do açúcar que lhe cabia na ração, e fez uma compota de abóbora. À imagem dos pachos dobrou a massa por cima da compota e levou ao forno a cozer. A seguir despachou-se a esconde-los, pois estava proibida de ser gulosa. A caminho cruzou-se com a madre superiora que era cega. A madre perguntou desconfiada, o que leva no tabuleiro, cheirando o perfume adocicado a Irmã Imaculada, apressa-se a responder que são pachos de linhaça para os doentes do dia seguinte. À noite na cela, a irmã Imaculada sossegou a alma, e não sequer se sentia culpada, pois sempre ouviu dizer que "do que não se vê, não se peca" .
Época de Confecção: Todo o ano como especialidade. O dia 13 de Dezembro consagra à Irmã Imaculada de Jesus a criação destes doces regionais, e ainda hoje é celebrada esta tradição, na capela de Vila Nova.

3 comentários:

Anónimo disse...

Não digam asneiras vão a Penelas e tentem descobrir a Verdade

Anónimo disse...

Sabe por que se festeja a S.Luzia Em Vila Nova e no Vale de Irmida?
Vão a Penelas descobrirão a capela mas não a Imagem da santa.

ARPies disse...

Quero lá saber das histórias dos pitos...só sei que são uma delícia e os que comprei na casa Lapão foram os melhores que eu comi até hoje.
Uma coisa eu tenho a certeza quem os criou só o poderia ter feito com muito amor.
E só tenho pena de estar longe aquando do seu fabrico que é pena só o serem nos princípios do mês de dezembro.