sexta-feira, 1 de agosto de 2008

Cumieira




Na sua área foram encontrados numerosos documentos arqueológicos, confirmando um primitivo povoamento, muito remoto: mós, pipas, restos de ânforas, tijolos, moedas, etc.Aparece referida em documentação escrita desde 1139, doação feita por D. Afonso Henriques ao Mosteiro da Ermida, do couto que nesse ano instituía sobre o rio Corgo, em terras de Panóias, de frente de Lobrigos. Nas inquirições de 1258, aparece já como paróquia instituída, com o nome de Santa Eovaye d' Anduji, no julgado de Penaguião.


O lugar da Veiga teve foral concedido por D. Manuel em 15.XII.1519. Quase todos os topónimos desta freguesia aparecem documentados também a partir do séc. XII.A antiga freguesia era abadia da apresentação da mitra bracarense. Pertenceu depois ao bispado de Lamego até à criação da diocese de Vila Real.


A sua Igreja Matriz foi construída em 1729, sendo as pinturas das paredes e abóbadas (hoje desaparecidas), da autoria de Nicolau Nasoni e datadas de 1739. A fachada principal, ladeada por duas pilastras, tem ao centro a porta encimada por um nicho com a imagem da padroeira. A torre sineira é dividida em três secções separadas por "cornijas". Contém um conjunto de talha dourada barroca, muito rica e sumptuosa, principalmente a do altar-mor. Sabe-se que Nasoni trabalhou a expensas do mecenas Conde de Mateus, naquele tempo Senhor da Cumieira. Esta Igreja, de Santa Eulália, paroquial da Cumieira, é I.I.P. – Imóvel de Interesse Público – assim declarado pelo Decreto N.°8/83 de 24 de Janeiro. Existe ainda um outro I.I.P. na área da freguesia, na Adega Cooperativa da Cumieira, o Marco granítico n.º 55, da delimitação da Região Demarcada, imóvel classificado pelo Decreto N.º 35909 de 17-10-1946.
Orago: Santa Eulália.

12 comentários:

Anónimo disse...

A foto não corresponde à Igreja da Cumieira, depois quando se copiam textos, põe-se o nome do autor do livro de onde foi extraido.
Copiar é feio.

Anónimo disse...

A fotografia não corresponde à igreja da cumieira,deveriam ter tido mais cuidado a fazer a pesquisa por sorte tudo o resto escrito corresponde,copiarambem

Anónimo disse...

A fotografia não corresponde à igreja da cumieira,deveriam ter tido mais cuidado a fazer a pesquisa por sorte tudo o resto escrito corresponde,copiarambem

Anónimo disse...

O "anónimo 3 vezes" tem razão: a foto mostra a Igreja Matriz de Fafe sita mui próximo do Bairro da Cumieira.

-zigoto-

Anónimo disse...

O "anónimo 3 vezes" tem razão: a foto mostra a Igreja Matriz de Fafe sita mui próximo do Bairro da Cumieira.

-zigoto-

Anónimo disse...

O "anónimo 3 vezes" tem razão: a foto mostra a Igreja Matriz de Fafe sita mui próximo do Bairro da Cumieira.

-zigoto-

Anónimo disse...

O "anónimo 3 vezes" tem razão: a foto mostra a Igreja Matriz de Fafe sita mui próximo do Bairro da Cumieira.

-zigoto-

Anónimo disse...

Eu a gozar com o "anónimo 3 vezes" e não é que o meu comentário surgiu quatro vezes repetido?
Não sei se terás pachorra para apagá-los.

A. Quelhas disse...

Caro anónimo o texto não foi copiado de um livro mas sim da net sem identificação. Vou tentar fazer um feedback e de bom grado disponibilizarei a origem.
Ultrapassaando os direitos de autor que são perfeitamente legitimos, há a considerar que um blog não é exactamente uma fonte de informação garantidamente fidedigna.
Agradeço o seu comentário e volte sempre.

A. Quelhas disse...

Caros anónimos: eu levo tareia de todo o lado: é a foto errada, é o texto copiado, são os comentários a triplicar.... a Cumieira aqui não correu nada bem, um dia destes desconsigo levar este blog para a frente. Prefiro pensar que os comentários em triplicado, são a minha programação do blog. Como este mísero blog não tem leitores nem comentarios eu tenho que triplicar os existentes. Abraço aos dois em triplicado.

A. Quelhas disse...

Ok fotografia trocada!!!!!
De facto é melhor copiar bem do que escrever mal.

zigoto disse...

Continuas com um humor da mais fina água :)